Sábado, 19 de Janeiro de 2008

Soneto da Separação

De repente do riso fez-se o pranto

Silencioso e branco como a bruma

E das bocas unidas fez-se a espuma

E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

 

De repente da calma fez-se o vento

Que dos olhos desfez a última chama

E da paixão fez-se o pressentimento

E do momento imóvel fez-se o drama.

 

De repente, não mais que de repente

Fez-se de triste o que se fez amante

E de sozinho o que se fez contente.

 

Fez-se do amigo próximo o distante

Fez-se da vida uma aventura errante

De repente, não mais que de repente.

 

Vinícius de Morais

publicado por RedGirl às 11:36

link do post | comentar | favorito
|

.sobre mim...

.Agosto 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Pesquisar neste blog

 

.Posts recentes

. Isto é só para alegrar os...

. ...

. ...

. Morte

. Gato que brincas na rua

. última semana

. Anseios

. Quase "The End"

. Reconhecimento à Loucura

. Qual família...

. Personalidade do Escorpiã...

. Fim de semana...

. help!!!

. Realista...sim senhor!!

. Páscoa...

.Arquivos

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Tags

. todas as tags

.Participa tu também

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds