Terça-feira, 12 de Agosto de 2008

Isto é só para alegrar os ânimos

 

 

publicado por RedGirl às 22:52

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Julho de 2008

...

Momentos

são para esquecer ou lembrar

sorrir ou chorar…

 

Momentos

são feitos de olhos, bocas, mãos

são feitos de pernas e coração

de emoção e sentimentos…

 

Momentos

são partidas e chegadas

lua, sol e entardecer

silêncio, cama fria, música

poesia, boémia, madrugada…

 

Momentos

são feitos de olhares que se cruzam

luzes que apagam

corpos que fundem

palavras que confundem

sensações inexplicáveis…

 

Momentos

são partículas de tempo

lembranças por vezes queridas

por vezes doídas

pequenas feridas que

paralisam breves pensamentos.

 

 

Margareth Cedron

 

sinto-me:
publicado por RedGirl às 23:58

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 7 de Julho de 2008

...

« Não sou como a abelha saqueadora que vai sugar o mel de uma flor, e depois de outra flor. Sou como o negro escaravelho que se enclausura no seio de uma única rosa e vive nela até que ela feche as pétalas sobre ele; e abafado neste aperto supremo, morre entre os braços da flor que elegeu. »

 

Roger Martin du Gard

 

publicado por RedGirl às 00:12

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

Morte

Nem acredito no que acabou de acontecer...

 

 

Acabei de ver a minha gata morta, completamente esticada ao pé de casa...Sinto como se uma parte  de mim tivesse morrido também...fazia parte da minha vida desde sempre, vi-a crescer, vi as suas crias a nascer...e agora vi-a morta... Partilhamos tantas vezes um cobertor no sofá, partilhamos o sono, partilhamos estes anos todos que se passaram… Era a última coisa que eu esperava ver, era a última coisa que esperava que me acontecesse…aconteceu…

 

Tenho vontade de chorar porque ela fazia parte da minha vida, faz todo o sentido este chorar… Era ela o meu animal de estimação, era dela que eu falava, era ela que eu queria que me acompanhasse sempre pró resto das nossas vidas…

 

 

 Assim se fechou um ciclo da minha vida….Não faz sentido um substituto, porque ela é insubstituível…ainda me lembro da primeira noite dela cá em casa…ainda me lembro do seu primeiro banho…e agora vou-me lembrar para sempre da minha última imagem dela…É como se o dia de repente tivesse ido embora e se tivesse abatido a maior das escuridões...   

 

sinto-me:
publicado por RedGirl às 18:17

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Gato que brincas na rua

Gato que brincas na rua

Como se fosse na cama,

Invejo a sorte que é tua

Porque nem sorte se chama.

 

Bom servo das leis fatais

Que regem pedras e gentes,

Que tens instintos gerais

E sentes só o que sentes.

 

És feliz porque és assim,

Todo o nada que és é teu.

Eu vejo-me e estou sem mim,

Conheço-me e não sou eu.

 

Fernando Pessoa

 

sinto-me:
publicado por RedGirl às 18:16

link do post | comentar | favorito
Domingo, 18 de Maio de 2008

última semana

Esta última semana foi uma semana bem preenchida, a minha última semana académica como estudante.

 

Domingo, a missa de finalistas e a queima das fitas, estava à espera de passar um dia super chato com a família atrás, mas não. Revi as pessoas q já não via há uns meses, divertimo-nos imenso juntos, ao longo daquele dia. Foi das primeiras vezes que vi o meu pai super babado pela filha, não parava de andar atrás de mim com a máquina fotográfica a tirar-me fotos em todas as posições, em todos os cenários, cheguei ao final do dia mesmo farta de ver máquinas a fotografar-me…Era  o pai, era o irmão, era a namorada do irmão, eram os amigos, eram os fotógrafos profissionais…era só flashes por todo o lado. Mas foi um bom dia para quem não esperava nada de especial…

 

O melhor dia de todos: O dia do cortejo académico.

Este é sem dúvida o melhor dia do ano, a tarde mais divertida de todas, desde o meu primeiro ano até ao último, este é o dia mais aguardado por todos.

 

Muita música, muita cerveja, muita diversão, tudo do melhor pelas ruas da cidade.

O meu primeiro cortejo, lá ía eu de caloira….recordarei para sempre esse dia, foi o máximo, recordo a tarde de pura diversão, recordo o final do dia, recordo aquele jantar, recordo a noite passada num qualquer quarto duma qualquer residencial algures na cidade.

 

Todos os outros anos que se seguiram continuaram a ser o máximo. Este ano foi o último….foi dos melhores, talvez mesmo o melhor, aquele em que eu mais me diverti, aquele em que tudo de bom aconteceu. Uma particularidade, estava a chover torrencialmente, foi o único dia da semana que choveu, como alguns diziam, fomos todos muito abençoados com tanta chuva que caiu. Nada que nos pudesse travar a diversão, lá fomos nós pelas ruas da cidade completamente encharcados, claro que quem nos estava a ver passar olhava para nós com um ar escandalizado, a acharem-nos completamente loucos. Nunca poderão compreender o quanto nos estávamos a divertir.

Bem, pelo menos ninguém ficou doente com a quantidade de chuva que apanhou, isso já foi uma sorte.

 

O meu último dia de semana académica acabou com o jantar de curso.

Foi dos melhores jantares de curso a que eu fui, o problema é sempre dizerem-nos q o jantar começa às 20h e na realidade só se começa a comer lá por volta das 22:30h.

Foi sem dúvida um jantar super divertido, os momentos ficarão para sempre recordados em todas as fotos e filmagens que fiz.

Acabar a noite a ir para o recinto dos concertos, a espera pelo Quim Barreiros, ter de ouvir uma banda que estava mais interessada na erva que estava no chão e na erva que andava pelo ar…Isso foi, sem comentários…Lá vem o Quim para pôr o pessoal todo a dançar….A companhia da noite, os banhos de cerveja…. aquele imenso fumo no ar…tudo isso vai ficar para sempre.

 

Por ser a última, tornou-se a mais importante, senti que era importante viver ao máximo todos estes últimos momentos, eles foram vividos….Nunca mais será igual, nunca mais poderei viver as mesmas sensações….Olhar para trás e ver que tudo valeu a pena, que tudo o que poderia ter vivido vivi….Agora novas experiências, novas vivências vão fazer parte da minha vida, tudo segue em frente, nada de olhar para trás e lamentarmo-nos pelo que fizemos ou pelo que deixámos de fazer…a vida é assim, não pára para nós termos tempo de nos lamentarmos por alguma coisa.

 

 

sinto-me:
música: Titanic
publicado por RedGirl às 15:59

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 10 de Maio de 2008

Anseios

Estou em casa à uma semana....não vou dizer que pareceu uma eternidade porque não é bem assim. O tempo até passou bem depressa e ainda nem aproveitei nada desta nova fase da minha vida, as minhas merecidas férias por tempo indeterminado. Foi uma semana de novidades, de novas possibilidades na minha vida, fiquei intrigada, preocupada e apoderou-se de mim uma ansiedade que não me tem dado muito descanso.

 

Na próxima semana é a minha última Semana Académica, apesar de eu já não ser aluna, de já ter terminado tudo, esta é a minha semana como finalista. Amanhã tenho de acordar super cedo pra ir à missa de finalistas, não sei quem teve a infeliz ideia de fazer uma missa às 9h da manhã, não entendem que existe muito pessoal que vem de longe com as famílias atrás e vão ter de madrugar pra chegar cá a horas. O que me vale a mim é que eu vivo a 10 minutos da igreja… Não consigo estar nada entusiasmada com o dia de amanhã, não tenho vontade nenhuma de ir, vai ser um dia inteiro de confusão. Tenho de ganhar algum ânimo e tentar aproveitar ao máximo o dia, porque se calhar vai ser o último dia em que vejo algumas das pessoas que me acompanharam ao longo dos últimos anos. Pessoas que marcaram a minha vida de alguma forma, que vão ficar dentro de mim para sempre, que vão ser recordadas sempre. Detesto despedidas, detesto ter de imaginar despedidas, prefiro despedir-me com um “até à próxima”, porque poderá haver uma próxima vez, porque poderá haver sempre um próximo reencontrar de pessoas e de memórias… Mas também gosto de me despedir com um simples “adeus”, é mais real, não deixa dentro de nós nenhuma esperança de existir um reencontro, deixa em aberto uma vontade ou um desejo de existir uma próxima vez…

 

Prefiro pensar que agora uma nova fase vai começar, uma fase que me vai fazer crescer imenso, que me vai fazer valorizar mais as pequenas coisas da vida.

 

 

sinto-me:
publicado por RedGirl às 19:14

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 29 de Abril de 2008

Quase "The End"

Bem, amanhã é o meu último dia de trabalho...Vim para fazer um estágio e talvez ficar por aqui mais uns tempos, mas isso não vai acontecer, impossibilidade financeira pra me pagarem um ordenado no final do mês.

 

Acho que realmente é o melhor, nunca me senti parte da equipa, nunca senti que fazia alguma falta aqui. Aprendi o que queria aprender, vi o que queria ver, agora não faz mesmo sentido nenhum ficar aqui. Mesmo que fosse pra ficar, não sei se o queria...

 

Vou finalmente tirar uma férias, mesmo que sejam muito prolongadas, desde que não me falte o pc e a minha querida internet...venham de lá os dias sem nada pra fazer!!

 

 

Agora é a parte em que faço publicidade da empresa onde estou: Por simpatia..e eles merecem...

 

Visitem o site http://www.open-space.pt

 

P.S. - Caso o site ainda não tenha lá muita informação é porque ainda está em actualização, mas está para breve a sua conclusão.

 

 

 

 

 

 

sinto-me:
música: De filmes de terror
publicado por RedGirl às 13:37

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

Reconhecimento à Loucura

Já alguém sentiu a loucura
vestir de repente o nosso corpo?
Já.
E tomar a forma dos objectos?
Sim.
E acender relâmpagos no pensamento?
Também.
E às vezes parecer ser o fim?
Exactamente.
Como o cavalo do soneto de Ângelo de Lima?
Tal e qual.
E depois mostrar-nos o que há-de vir
muito melhor do que está?
E dar-nos a cheirar uma cor
que nos faz seguir viagem
sem paragem
nem resignação?
E sentirmo-nos empurrados pelos rins
na aula de descer abismos
e fazer dos abismos descidas de recreio
e covas de encher novidade?
E de uns fazer gigantes
e de outros alienados?
E fazer frente ao impossível
atrevidamente
e ganhar-lhe, e ganhar-lhe
a ponto do impossível ficar possível?
E quando tudo parece perfeito
poder-se ir ainda mais além?
E isto de desencantar vidas
aos que julgam que a vida é só uma?
E isto de haver sempre ainda mais uma maneira pra tudo?

Tu Só, loucura, és capaz de transformar
o mundo tantas vezes quantas sejam as necessárias para olhos individuais
Só tu és capaz de fazer que tenham razão
tantas razões que hão-de viver juntas.
Tudo, excepto tu, é rotina peganhenta.
Só tu tens asas para dar
a quem tas vier buscar



José de Almada Negreiros

sinto-me:
publicado por RedGirl às 18:12

link do post | comentar | favorito
Domingo, 6 de Abril de 2008

Qual família...

Devia estar na praia e não estou, estou aqui….fiquei-me pelo meu quarto e pela minha cama…no único dia de descanso que tenho. Fiquei aqui a definhar entre estas quatro paredes, as únicas que realmente me conhecem. Queria adormecer e só acordar quando isto tivesse passado tudo.

 

Desde pequena que assisto aos mesmo episódios, desde sempre que ouço as mesmas palavras, que vejo o mesmo sofrimento, que vejo todo o sacrifício vivido. Queria ter a possibilidade de poder afastá-los, mas não posso, neste momento não posso….mas hei-de poder, hei-de conseguir pôr um fim a isto tudo.

 

O importante não é ver as famílias juntas, mas sim vê-las unidas e felizes. Esta relação está cada vez pior, limitam-se a suportar-se, limitam-se a partilhar a mesma vida desde há 30 anos. Sempre ouvi discussões, sempre vi alguém a sujeitar-se ao que o outro queria, sempre ouvi alguém a dizer que já não aguentava mais, que um dia desaparecia….isso nunca aconteceu….continuou tudo na mesma, com altos e baixos, mas cada vez com mais baixos…piora de dia para dia. Não aguento ter de levar com isto tudo em cima de mim, ter de assistir a tudo isto, ter de ouvir os desabafos, ter de fazer alguma coisa para aliviar a situação. Tou farta de ver alguém a sofrer assim, tou mesmo farta de ver a sua cara de sofrimento e as suas lágrimas e pior que tudo é eu não poder fazer nada. Tou farta disto tudo, queria ser como a avestruz e poder enfiar a cabeça na areia e só tirá-la quando tudo tivesse terminado. Sei que isto nunca vai terminar, sei que isto vai ser para sempre, mas também sei que eu não vou estar aqui, que eu não quero estar aqui a assistir a isto até ao seu final.

 

Hoje o dia parece nunca mais terminar, os minutos parecem horas, só quero que passe depressa, que chegue depressa o dia de amanhã para poder enfrentar novamente mais um início duma semana de trabalho. Só quero ter a minha cabeça ocupada com outras coisas…

 

P.S. – Acho que vou começar a passar os fins de semana todos longe de casa, eu também preciso de alguma paz e por aqui não a consigo encontrar…

 

sinto-me:
publicado por RedGirl às 17:06

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 3 de Abril de 2008

Personalidade do Escorpião: "Não me passem por cima"

 

Quando conhecemos um Escorpião, ficamos um pouco assustados. Um arrepio leve corre-nos pela espinha. Afastamo-nos lentamente. Temos cuidado com o que dizemos, porque não os queremos ofender. Talvez sejam aqueles olhos de Escorpião fundos e penetrantes, ou talvez aquele exterior frio e reservado que utilizam tão bem. O que quer que seja, não nos queremos meter com um Escorpião, de certeza que perderemos dolorosamente. O magnetismo do Escorpião é majestoso e poderoso. Eles alcançam o seu objectivo, e utilizam quaisquer meios para o conseguir. Não está no nosso melhor interesse metermo-nos no caminho de um Escorpião. São astutos, e enganadores. Cuidado com o que dizemos, porque se os ofendermos, eles usarão isso mais tarde - anos mais tarde - para se vingarem. Gostam de ver os outros sofrerem. Fá-los sentir poderosos. Um Escorpião é misterioso e sedutor, sabemos que guarda algum segredo incrível. Nunca tentem descobrir o que esconde, porque eles nunca partilham segredos.

 

AMIZADE
Ninguém é um melhor amigo nem pior inimigo que um Escorpião. Ou gostam de nós ou odeiam-nos. Eles gostam de pessoas espertas que estimulem a sua mente. Esperam confiança total. Querem saber onde vamos estar a certa hora e com quem. Não nos dizem os seus próprios planos, portanto não vale a pena perguntar. Se os trairmos, cortam relações connosco, nem vale a pena pedir perdão, porque eles não o darão.

 

AMOR
Os Escorpiões conseguem o que querem. Se fixarem os seus olhos penetrantes e sexy em si, não lute, simplesmente encoste-se e goze o momento. Eles hão-de conseguir. Devíamo-nos sentir honrados. Os Escorpiões não gostam de perder o controlo, e normalmente escondem as suas emoções debaixo de uma máscara gelada. Pesam as probabilidades sobre nós antes de fazerem qualquer movimento. São altamente sexuais e apaixonados. São secretos, possessivos e ciumentos, nem olhem para outra pessoa, porque quando gozados, os Escorpiões são vingativos e cruéis.

 

sinto-me: Chegou o bom tempo!!!
publicado por RedGirl às 15:40

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

Fim de semana...

Ando sem vontade para escrever, isto apenas significa que a minha vida está na mesma e sendo assim, se não acontece nada fora do normal, também não há nada para contar. Mas também não é bem assim….este fim-de-semana fui arejar as ideias. Há mesmo muito tempo que não saía uns dias de casa.

Fui visitar uma amiga a Amarante. Depois de um longo dia de trabalho na sexta enfiei-me num expresso e lá fui eu sozinha em busca do desconhecido. Posso dizer que fiquei surpreendida por tudo o que vi e por tudo o que ouvi durante a minha estadia naquela casa. Nunca me tinha apercebido que essa minha amiga tem um sotaque incrível, só me apercebi disso quando a ouvi falar com a família, são pequenas coisas a que nem sempre prestamos atenção. Fui parar a uma aldeia no meio do monte, nunca tinha estado num sítio assim, não esperava que fosse um sítio assim. Daqueles sítios onde se vêem cães pela rua e galinhas e ovelhas soltas em volta das casas, o que eu considero a verdadeira aldeia. Apesar de eu também viver no meio rural e estar habituada a muitas coisas, não tem nada a ver com o local onde passei o fim-de-semana. Como cheguei lá na sexta à noite, não me apercebi de como era o lugar, mas no sábado de manhã….foi a surpresa total, pelo menos respira-se um incrível ar puro. Ainda por cima tou habituada a uma casa vazia, e cheguei a uma casa cheia de gente, principalmente crianças, aquele barulho das crianças a brincar, a gritar, a fazer birra….isso para mim foi mesmo uma total novidade.  

Passados estes dias e assentada a poeira, posso pensar mais serenamente no que me aconteceu, foi giro e lá pró próximo mês repito a experiência. Digamos que fui munida de máquina fotográfica, tinha intenção de tirar imensas fotos, mas nem por isso, ainda tirei uma ou duas fotos à paisagem. No Domingo, antes de voltar para casa andei a visitar a cidade, mas como não tem muito para ver, as fotos tiradas também não foram muitas.

Tou com uma incrível dor de pernas, consequências de passar o fim-de-semana num local de declive acentuado…ando a precisar de fazer exercício físico…

sinto-me:
música: Pedro Abrunhosa
publicado por RedGirl às 09:34

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 27 de Março de 2008

help!!!

Hoje tou completamente sozinha no trabalho, saíram todos para um seminário de manhã e ainda não chegaram. Tou a dar em maluca aqui sozinha sem ninguém com quem falar, dormi pouco por isso tou mesmo cheia de sono e depois estar aqui sem ninguém com quem me distrair, também não ajuda nada. O único som existente dentro deste gabinete é o som do computador a trabalhar, fora isso é o silêncio absoluto.

 

Estar a ver as horas a passar à espera da hora de saída, isso é o que tenho feito desde manhã...já tentei jogar jogos que encontro pla net, já me pus a ler artigos e mais artigos de vários sites, mas nada me consegue ocupar o tempo. Pelo menos existiu a hora do almoço....a única hora do dia em que vi pessoas, em que falei para várias pessoas....senão coitada de mim.

 

 

Tou mesmo farta do trabalho, realmente não há muita motivação para estar aqui. Até posso ser eu que neste momento ando muito desanimada com várias coisas que estão a suceder na minha vida, mas o que me dizem para fazer no trabalho não é mesmo nada interessante.

 

Esta situação tem de mudar rapidamente, eu própria tenho de mudar rapidamente. A vida até que pode ser feita de altos e baixos, mas sem dúvida que eu quero estar sempre lá bem no alto.

 

 

Só quero que chegue o dia de amanhã, tenciono ir passar o fim de semana fora, ver coisas diferentes e conhecer muitas pessoas diferentes, é mesmo disso que estou a precisar. Preciso mesmo de uma lufada de ar fresco na minha vida. E não me estou a referir que quero alguma coisa com as baixas temperaturas que se fazem sentir neste momento......pelo amor de Deus!!! Estamos quase em Abril......o calor? Onde está??

 

 

Neste momento começou a tocar na rua em alto volume música, mas também não precisava de ser tão deprimente!!!

sinto-me: I need help...please...
publicado por RedGirl às 16:54

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 25 de Março de 2008

Realista...sim senhor!!

Acabei de fazer um teste qualquer na net, do género: É optimista ou pessimista? Faça este teste e acabe com todas as dúvidas!

Bem eu dúvidas não tinha, mas "mais vale prevenir que remediar".

 

Resultado:

"É uma pessoa realista. Geralmente, é melhor ser optimista do que pessimista, sempre que estivermos suficientemente conscientes da realidade da vida."

Ainda alguém tinha dúvidas???

 

 

sinto-me:
música: "Relax take it easy"
publicado por RedGirl às 09:57

link do post | comentar | favorito
Domingo, 23 de Março de 2008

Páscoa...

Bem, lá chegou mais outro dia de Páscoa. Desde madrugada que se ouvem foguetes a estoirar, não é bem desde madrugada, é mesmo desde ontem à noite, não percebo quem é que se lembra de andar com foguetes àquela hora da noite.

 

Lembro-me dos meus dias de Páscoa de quando era mais pequena. Hoje acordei a pensar nisso, aquela confusão toda na casa dos meus avós, aquela espera pelas pessoas, aqueles apertos de mãos e a mítica frase das “boas festas”…. Lembro-me de como não gostava desse dia, lembro-me de como achava aquilo tudo uma chatice, aquela espera, aquele ouvir do compasso a chegar, aquele som da campainha a tocar…isso ainda hoje me dá arrepios, mas lembro-me mais ainda de como o meu avô gostava de ir visitar todas as casa da freguesia, ele gostava mesmo daquele dia, não falhava nenhuma casa, não falhou em nenhuma Páscoa, se calhar continua e ir a todas as casas, mesmo que em espírito… Ele adorava receber no final do dia as pessoas na casa dele, adorava ter lá a família toda e ficávamos lá até ser noite a conviver, mas principalmente a comer e a beber, se me lembro que acabava a noite sentada no sofá sem me conseguir levantar….ai aquele vinho e aquele whisky acompanhados de pão de ló…

 

Agora tudo é diferente, agora sou eu quem recebo as pessoas na minha casa, agora é na minha casa que fico à espera do som daquela campainha…

 

O que mais confusão me faz nesta altura, é a preocupação que todos têm em limpar e arrumar, parece que só nesta altura é que fazem uma limpeza decente às casas. Bem eu conheço casos em que são chamados filhos e netos pra passarem o dia a limpar, mas neste caso parece que é a única vez no ano que a coitada da casa é limpa…Neste caso devia ser Páscoa pelo menos uma vez por mês…

Claro que eu conheço aquelas típicas mulheres “cuscas” que andam pelas casas, não pelo significado que têm as visitas, mas para ver o que cada um tem dentro de casa, na minha casa podem estar à vontade, se tiverem alguma dúvida podem sempre vir falar comigo que eu mostro-lhes melhor o que elas quiserem ver…

 

 

Bem, boa Páscoa para todos…cuidado com os doces e nada de exagerar na bebida…
sinto-me: to depress
música: Bryan Adams
publicado por RedGirl às 10:41

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 17 de Março de 2008

Palavras

Lá vai começar a minha 4ª semana de trabalho. O tempo passou mesmo depressa, parece que ainda ontem comecei e já passou um mês. Foi um mês muito bom, acabei o curso (já tenho o canudo!!), e comecei logo a trabalhar num sítio impecável, não se compara ao trabalho num banco, a minha experiência na banca não deixou saudades nenhumas. Logo depois de ter deixado o meu estágio num banco ainda voltei lá várias vezes pra falar com as pessoas, mas foi por pouco tempo, não tenho vontade de voltar áquele edifício que tão mal fez à minha sanidade mental, aquelas pessoas não fazem parte da minha vida para eu querer reencontrá-las muitas mais vezes.

 

O melhor que me aconteceu em 2007, o que me deixou mais saudades, foi sem dúvida alguém que conheci, das melhores pessoas que já conheci na vida, aquela pessoa que me fazia sentir protegida, aquela pessoa que estava sempre ali pra me tentar compreender. Aprendi imenso com ele, ri imenso com ele, conheci-me melhor com ele. Mas também fiquei triste de mais por causa dele.

 

Mas a vida está sempre em constante mutação, passei a ver tudo o que me rodeia de uma forma muito mais serena, já não consigo ficar desanimada por qualquer entrave do dia a dia, muita coisa mudou, o mundo infelizmente continua o mesmo de sempre, mas eu não. Eu mudei, acredito mais em mim, cada vez mais acredito que a vida merece ser vivida em toda a sua plenitude, acredito mais que todos os meus desejos e sonhos se vão concretizar, disso não tenho dúvidas nenhumas. Eu posso, quero e vou fazer acontecer tudo.

 

Passo o dia de cabeça erguida e sempre com um sorriso estampado no rosto, é mais forte que eu, não consigo evitar rir por tudo o que se passa à minha volta. Bem, a isto chama-se ser feliz! As pessoas que estão à minha volta, as pessoas com quem falo todos os dias, essas pessoas não imaginam o bem que me fazem, não imaginam a importância que têm para eu me sentir feliz. O dia sem elas não seria o mesmo, seja numa conversa num intervalo pra café ou durante o trabalho, mesmo que numa conversa menos convencional e mais virtual, qualquer que seja o momento essas pessoas estão lá comigo a fazer-me sentir bem.

 

Até aquela música que não era capaz de ouvir porque me lembrava alguém demasiadamente especial, aquela música melancólica de mais, que só me fazia lembrar aquelas longas noites de um passado muito próximo, toda essa música agora consigo ouvi-la, agora ando sempre a ouvi-la, porque eu agora quero ouvi-la, porque eu agora sei que sou superior a qualquer pensamento que me possa assombrar.

Nunca vou deixar de fazer algo que me dê prazer só porque me faz lembrar algo triste, algo que pertencia e deixou de pertencer, a minha vontade de querer supera tudo isso.

É assim que devemos ver a vida, é assim que eu aprendi a ver a minha vida.

 

 

 

“Deixas em mim tanto de ti, matam-me os dias as mãos vazias de ti” 

 

“E uma asa voa a cada beijo teu, esta noite sou dono do céu e eu não sei quem te perdeu”

Pedro Abrunhosa

 

 

 

sinto-me:
publicado por RedGirl às 08:42

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 13 de Março de 2008

Amor Comparado

"Queres ter uma ideia do amor, vê os pardais do teu jardim; vê os teus pombos; contempla o touro que se leva à tua vitela; olha esse orgulhoso cavalo que dois valetes teus conduzem à égua em paz que o espera, e que desvia a cauda para recebê-lo; vê como os seus olhos cintilam; ouve os seus relinchos; contempla os seus saltos, camabalhotas, orelhas eriçadas, boca que se abre com pequenas convulsões, narinas que se inflam, sopro inflamado que delas sai, crinas que se revolvem e flutuam, movimento imperioso com o qual o cavalo se lança para o objecto que a natureza lhe destinou; mas não tenhas inveja, e pensa nas vantagens da espécie humana: elas compensam com amor todas as que a natureza deu aos animais, força, beleza, ligeireza, rapidez. Há até mesmo animais que não sabem o que é o gozo. Os peixes escamados são privados dessa doçura: a fêmea lança no lodo milhões de ovos; o macho que os encontra passa sobre eles e fecunda-os com a sua semente, sem saber a que fêmea eles pertencem. A maior parte dos animais que copulam só têm prazer por um sentido; e, assim que esse apetite é satisfeito, tudo se extingue. Nenhum animal, com excepção de ti, conhece os entrelaçamentos; todo o teu corpo é sensível; os teus lábios, sobretudo, gozam de uma volúpia que nada cansa, e esse prazer só pertence à tua espécie; enfim, tu podes a qualquer tempo entregares-te ao amor, os animais têm o seu tempo específico. (...) Por isso, estás acima dos animais; mas, se gozas de tantos prazeres que eles ignoram, em compensação quantas tristezas os animais não fazem ideia!"


Voltaire, in 'Dicionário Filosófico'


 

sinto-me: proibida...
música: vinda do portátil do J
publicado por RedGirl às 11:17

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 12 de Março de 2008

Sempre nós

 

Aprendemos que devemos projectar os nossos planos a médio e longo prazo, mas a nossa vida é imprevisível de mais para se pensar no que poderá acontecer no futuro, não sei que vai ser de nós daqui a uns meses, daqui a uns dias…é importante vivermos intensamente cada momento que passámos juntos, é importante falarmos de tudo o que tivermos para falar, é importante demonstrarmos tudo o que possa existir para ser demonstrado. Amanhã pode já não ser assim, amanhã podemos já não estar por aqui…

 

Nem sempre nos dão o devido valor, nem sempre nos dão aquele colo para nos sentirmos aconchegados, mas somos fortes e para sempre lutadores, chegaremos longe, bem longe e encheremos o nosso peito de orgulho por tudo o que conseguirmos. Porque seremos nós a sofrer, seremos nós a conquistar, seremos nós a batalhar, seremos nós os vencedores de cada batalha enfrentada todos os dias, seremos sempre nós…

 

Porque chegaremos onde nenhum outro ousou chegar e teremos sempre força para ir mais e mais além, tornaremo-nos em seres invencíveis e incapazes de conter a nossa força interior para ganhar esta guerra que é a vida. 

Mesmo sem ninguém ali ao nosso lado para nos ajudar a levantar das quedas, ninguém para nos dar a mão, iremo-nos erguer sempre! 

 

Não é importante o orgulho que possam sentir de nós, importante é o orgulho que sentiremos sempre de nós próprios...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: com sono...
música: CPU a passar-se!!
publicado por RedGirl às 09:09

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 10 de Março de 2008

Uma História

Eles eram alunos de secundário.

Desde o primeiro momento em que os seus olhares se cruzaram algo ficou a pairar no ar, ela não o via da mesma forma como a qualquer outro seu colega de turma. Ele era diferente, sentia-se incomodada com a sua presença…mas era um incómodo bom.

Passou o primeiro ano de liceu, chegou o segundo, a proximidade ía aumentando…algo dentro do seu peito ía aumentando, o bater do seu coração não era o mesmo sempre que ele aparecia.

 

Nas aulas.

Ele ficava na carteira logo atrás dela. Inesperadamente começou uma incessante troca de bilhetes. Bilhetes com coisas banais, palavras que por muito pouco sentido que fizessem, para eles faziam todo o sentido do mundo. Pequenos bocados de papel rasgados de alguma folha solta dos seus cadernos.

A vontade de se sentirem próximos um do outro era maior do que o receio de serem apanhados por algum professor.

O tempo foi passando, aquela troca continuou, a proximidade aumentou. Aquilo tinha de acontecer.

 

Último ano chegou, escreveram-se durante as férias, viviam perto, mas longe o suficiente para nunca se terem voltado a ver durante aqueles meses de Verão.

Os bilhetes, esses claro que recomeçaram e recomeçariam vezes e vezes sem conta, tudo para que aquela distância se fosse encurtando, tudo para se sentirem juntos, mesmo que fossem simples bocados de papel com simples palavras soltas.

Iam juntos para casa, aquelas viagens de autocarro por vezes pareciam intermináveis porém, por vezes, terminavam rápido de mais. De se sentarem ao lado um do outro até começarem a dar as mãos, foi mais um pequeno passo de entre tantos outros que deram juntos.

 

Nem tudo aconteceu de uma forma muito natural, existiram momentos em que ela tinha receio, receio do que iria acontecer, receio daqueles momentos que marcariam o resto da sua adolescência.

 

Aconteceu.

Aconteceu tudo rápido de mais para ela.

Aconteceu tudo muito devagar para ele. Não entendia que existiam momentos importantes de mais para serem levados daquela forma.

 

Todos viam que aquilo tinha de acontecer. Todos sentiam que eles juntos faziam todo o sentido. Todos ficaram felizes por verem que eles finalmente tinham formado um só.

 

A descoberta.

A descoberta do corpo, a descoberta de cada centímetro do corpo um do outro, a descoberta dos prazeres que cada um dos corpos proporcionava.

Era tudo novidade, os momentos eram passados a descobrir, a explorar, a experimentar-se um ao outro. Aquelas tardes que passavam fechados no quarto dele…

 

O tempo passou.

Faziam parte da vida um do outro, já não sabiam viver sem o outro ao lado.

 

O início do fim.

Conflitos começaram a acontecer. Porque ele queria ir jogar bilhar e ela não, porque ele fumava e ela não gostava…porque ela começou a não gostar de nada. Ela estava cansada de tudo.

 

“O amor é eterno até acabar”.

A primeira vez que se diz que se ama. Eles diziam-no sempre, começaram a dizê-lo sempre…passou a ser banal dizê-lo. Passou a ser dito já sem o sentimento realmente existir.

 

Tudo o que ela fazia, tudo o que ela dizia, era tudo perfeito aos olhos dele. Ele não lhe sabia dizer que não, era como se não tivesse vontade própria. Ele amava-a de mais, nunca a quereria perder, faria tudo para nunca a perder. Aquilo já não era amor, um amor normal e racional, passou a ser um amor obsessivo. Isso assustava-a.

Ela não conseguiu corresponder da mesma forma áquele amor, tentou falar-lhe quando percebeu que dentro do seu peito, o seu coração já não batia com a mesma intensidade, tentou explicar-lhe…ele chorou…mas nunca a deixaria, não imaginava a sua vida longe dela.

 

Ele não a deixou, o tempo foi passando, dentro dela já só restava resignação. Ele não a deixava. A resignação de continuar ao lado dele começou a não ser suportável, os sentimentos que se seguiram só a faziam sentir-se cada vez mais infeliz. Não conseguia voltar a amá-lo, também não o quereria… Já não suportava a sua presença, o seu toque. Não o conseguia tratar com a normalidade de outrora, ela não o suportava ao ponto de o humilhar em frente dos amigos, não o conseguia tratar bem, só queria que ele se afastasse, só queria acabar com aquilo tudo.

 

Ele não reagia, ele nunca reagia…estava bem assim com ela ao seu lado sempre e para sempre…até um dia.

 

 

Bastou um telefonema. Acabou. Voou até casa dela e novamente chorou nos seus braços.

Cada uma das suas lágrimas eram como que suspiros de alívio da parte dela. Finalmente aquele tormento tinha terminado. Estava esgotada.

Sentiu-se livre como há muito não o sentia. Sentiu-se renascer naquela tarde de Verão.

“Desculpa…”, ousou pensar ela, ninguém merece receber um presente daqueles de aniversário, mas ela é que se sentiu a aniversariante a receber o melhor dos presentes, a sua liberdade.

 

Os dias que se seguiram foram complicados para ele. Ela sabia que ele estava a sofrer, que estava desorientado, mas nunca mais pretendia saber dele.

 

Quando se ama alguém queremos ver essa pessoa feliz. Ele não entendia que ela só seria feliz longe dele. Se a amava tanto deveria perceber que ela queria espaço, que ele tinha de se afastar, que ela queria apenas sentir-se feliz. Ele estava a torná-la miseravelmente infeliz.

 

Uma chamada não atendida, uma mensagem de voz. Estava ao pé de água, que ía entrar…entrou. Ela não quis saber…

 

Alguém o salvou…alguém não o deixou sucumbir naquelas águas. Ele queria ter morrido, mas alguém não deixou. A revolta apoderou-se dele.

 

Todas aquelas noites de pesadelos com ele terminaram, pesadelos em que ele a perseguia, em que ele lhe aparecia a cada instante, tudo terminara.

 

O tempo passou, o tempo cura mesmo a mais das dolorosas feridas.

Ela voltou a apaixonar-se…ele voltou a apaixonar-se…

publicado por RedGirl às 09:06

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Aqui na orla da praia…

  

Aqui na orla da praia, mudo e contente do mar,

Sem nada já que me atraia, nem nada que desejar,

Farei um sonho, terei meu dia, fecharei a vida,

E nunca terei agonia, pois dormirei de seguida.

 

A vida é como uma sombra que passa por sobre um rio

Ou como um passo na alfombra de um quarto que jaz vazio;

O amor é um sonho que chega para o pouco ser que se é;

A glória concede e nega; não tem verdades a fé.

 

Por isso na orla morena da praia calada e só,

Tenho a alma feita pequena, livre de mágoa e de dó;

Sonho sem quase já ser, perco sem nunca ter tido,

E comecei a morrer muito antes de ter vivido.

 

Dêem-me, onde aqui jazo, só uma brisa que passe,

Não quero nada do acaso senão a brisa na face;

Dêem-me um vago amor de quanto nunca terei,

Não quero o gozo nem dor, não quero vida nem lei.

 

Só, no silêncio cercado pelo som brusco do mar,

Quero dormir sossegado, sem nada que desejar,

Quero dormir na distância de um ser que nunca foi seu,

Tocado do ar sem fragrância da brisa de qualquer céu.

                   

 

Fernando Pessoa 1929 

publicado por RedGirl às 08:52

link do post | comentar | favorito

.sobre mim...

.Agosto 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Pesquisar neste blog

 

.Posts recentes

. Isto é só para alegrar os...

. ...

. ...

. Morte

. Gato que brincas na rua

. última semana

. Anseios

. Quase "The End"

. Reconhecimento à Loucura

. Qual família...

. Personalidade do Escorpiã...

. Fim de semana...

. help!!!

. Realista...sim senhor!!

. Páscoa...

.Arquivos

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Tags

. todas as tags

.Participa tu também

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds